notícias



Publicado em: 07/01/2020

Governo não demonstra dialogo com as entidades representativas que compõe a Frente

O governo monstra que ainda não tem nenhuma previsão para conclusão do estudo que a Frente produziu e entregou aos representantes do Poder Executivo e afirmaram que as reuniões por ora estavam encerradas. Desta forma, apresentaram o entendimento que somente existiria uma possibilidade de voltar a ocorrer uma nova reunião em 2020 sem definição de cronograma.

Todavia, foi reiterado pela SEGER e pela SESP o compromisso pessoal do Governador em melhorar a remuneração ao longo do mandato e nivelar os salários dos profissionais de segurança pública do ES no patamar da média salarial nacional.

Apesar desta narrativa, cobramos novamente uma resposta concreta e republicana quanto aos prazos e medidas efetivas relativas à recomposição salarial, porém enfatizamos ao Governo uma disposição à continuidade das negociações. Ressalte-se que o Governo, através dos interlocutores referenciados, declarou ter ciência e reconhecimento de nossa imensa defasagem salarial.

Tal cenário não nos agradou, em que pese nossa postura de respeito ao diálogo. Pedimos a todos que se mantenham atentos às próximas mobilizações, pois sem luta e participação concreta não há melhorias. Nos últimos anos (2014/2019), enquanto a inflação um índice de 35,53% os salários dos Policiais tiveram reajuste de apenas em 4,5% (quatro e meio por cento), tornando praticamente impossível arcar com compromissos básicos sem recorrer a endividamento constante que compromete até a integridade dos Policiais no exercício de suas atribuições.

A Frente entende que a situação financeira e fiscal do Estado do Espírito Santo permite ao Poder Executivo atender plenamente a reivindicação das categorias – a recomposição salarial.